Catarinense na briga pelo título de surf amador

Ramiro Rubin. Foto: Basílio Ruy

Ramiro Rubin. Foto: Basílio Ruy

Encerrou neste domingo, no Balneário de Arroio do Silva, sul do estado catarinense, a quarta etapa do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2014, que contou com a participação de 103 surfistas de todo o estado na briga pelo título da temporada.  Os dois dias de competições foram  com boas ondas e a molecada mandou ver nas manobras para impressionar os árbitros, na busca das melhores notas.

O campeão na categoria Open foi o surfista de Florianópolis, da Praia do Campeche, que garantiu mais uma vitória no circuito surfando muito bem as ondas da Praia Central. A final foi muito disputada, mas Ramiro achou as melhores ondas e não deu chances aos adversários, vencendo com um total 13,70 pontos contra 12,65 pontos do surfista maranhense radicado em Santa Catarina Álvaro Bacana. Completando o pódio, na terceira colocação o surfista Ícaro Martins, somando 11,90 pontos, e na quarta colocação ficou Bruno Silva somando 10,60 pontos.

A próxima etapa acontece na Praia da Joaquina, em Florianópolis, nos dias 16 e 17 de agosto e as inscrições para a quinta etapa já podem ser feitas na Fecasurf pelo fone (48) 3025-1880

A quarta etapa do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2014 foi  apresentada pelo Município de Balneário Arroio do Silva, e contou com patrocínio da Oceano, KOB – Keep The Ocean Blue, Skull Surf Boards, Mormaii, Dalila Têxtil; apoio Cia Wax, El Colégio Surf Shop, Big Bem Supermercados, Maré Mar Surf Skate Shop, Mar Bom Skate Surf Shop, Nascente Astralina Surf Boards; divulgação do Site Waves, Jornal Drop, Revista Solto, Rádio Transamérica FM; e a realização é da Federação Catarinense de Surf e Associação de Surf de Balneário Arroio do Silva.

Publicado em Aloha, Competições, Esportes radicais, Eventos, Surf | Deixe um comentário

Surfista também grita que o #suornaotemcor

#suornaotemcor

#suornaotemcor

Eu poderia aproveitar esse espaço, dedicado ao meu amor pelo surf, para falar da última vitória de Gabriel Medina em Fiji, na Indonésia. É claro que o prodígio Medina está de parabéns por mais uma conquista e claro que também sou um surfista na torcida pelo primeiro título mundial do Brasil no Circuito Profissional da ASP. Mas, quero pedir licença para a galera do surf para discutir aqui uma questão no esporte mundial que vai do futebol ao surf, passa por todas modalidades e assola a nossa sociedade por anos e anos. Estou falando do preconceito racial.

Por que estou abraçando essa causa? O que eu tenho haver com isso? Sou pai adotivo de um belo filho afrodescendente. Sim, meu pequeno anjo de apenas sete anos que escolhi para ser meu filho tem um bronze natural que sempre quis pra mim. Bronze que traz força, traz história do nosso país, da nossa mistura. Acho que por essa escolha que fiz, da qual tenho muito orgulho, venho sido chamado na vida profissional para defender o respeito racial no esporte. O vídeo abaixo é mais um exemplo dessa convocação, que me fez entrar em campo mais uma vez em prol dessa luta.

Entre os cantores participantes (foto acima) estão: Edi Rock e Ice Blue, dois dos quatro líderes do Racionais MC´s; Dj. Cuca, único DJ brasileiro a ficar entre os 10 melhores DJ´s de rap do mundo; Tulio Dek, autor de diversas trilhas sonoras de novelas; DBS, revelação do rap nacional; Ndee Naldinho; Gregory, e Toddy, um dos maiores vídeo makers do Brasil.

Já que nossa presidente Dilma está dizendo que esta Copa é a Copa contra o preconceito, quero pedir a ajuda de todos os amigos leitores para divulgarmos esse vídeo clipe gravado com 21 rappers do cenário nacional, com participação de atletas como Mario Balotelli, Yaya Toure, Asamoah Gyan, Gilberto Silva, Neílton e Marta. Vamos levar essa música, batizada de Suor Não Tem Cor, como um hino na Copa para mostrar ao mundo que no Brasil o preconceito racial é abominado.

Todos podem participar e se unir a causa e deixar sua mensagem contra o racismo no hotsite exclusivo da campanha www.suornaotemcor.com.br. Neles os internautas poderão compartilhar vídeos, fotos da campanha utilizando as hashtags #suornãotemcor e #weareallthesame, além de ter acesso a todo material da campanha.

A iniciativa da campanha é resultado de uma parceria da marca PUMA, com a Bagua Records. O conteúdo digital é de autoria da Peppery Comunic.

 

Publicado em Aloha | Deixe um comentário

Elite do surf na Indonésia

Kelly Slater em Fiji 2013 Foto: ASP

Kelly Slater em Fiji 2013
Foto: ASP

A quinta etapa do circuito mundial de surf, promovido pela ASP, acontecerá entre os dias 1º e 13 de junho nas ilhas Fiji, na Indonésia. Confira abaixo o teaser do evento cujo defensor do título é o 11 vezes campeão mundial de surf, Kelly Slater (foto acima).

Lembrando que em 2012 o brasileiro Gabriel Medina ficou em segundo lugar na mesma prova ao perder a final para Slater. No ano passado, o melhor brasileiro na água foi o paulista Miguel Pupo, que foi barrado no round 3 do desafio, derrotado por Jeremy Flores.

Em 2014, até o momento, Kelly Slater é o líder do ranking mundial seguido, respectivamente, por Taj Burrow, Joel Parkinson, Michel Bourez, Gabriel Medina, Adriano de Souza, entre outros.

Publicado em Aloha, Brazucas no surf, Circuito profissional, Competições, Esporte, Esportes radicais, Eventos, Surf, WT | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

5 exemplos de superação no surf/vida

Nuno Vitorino Foto: Art In Light Photography/SURFaddict

Nuno Vitorino
Foto: Art In Light Photography/SURFaddict

Essa semana eu estava navegando pelo portal Surf Portugal e o título de uma matéria me chamou a atenção. A manchete dizia “NO EXCUSES: DEPOIS DE VERES ISTO AINDA VAIS TER DESCULPAS PARA DAR?”. Depois de ver o vídeo abaixo, com o surfista Nuno Vitorino, decidi fazer uma curadoria com vídeos dos melhores exemplos de superação no surf que eu conheço.

É claro que existem muitos outros, mas aproveito para homenagear a todos com os personagens abaixo. São eles: o próprio Nuno Vitorino, protagonista da matéria no site português; o meu amigo Pauê, que dispensa apresentação no trailer do filme Pauê: O Passo de um Vencedor, lançado em 2013; o joven Derek Rabelo, que vê o mundo por meio de sua prancha de surf; o mestre Taiu Bueno; e a surfista havaiana Bethany Hamilton. Após assistir esse vídeos duvido que você ainda terá vontade de reclamar da vida. Aloha!!!

Nuno Vitorino

Pauê

Derek Rabelo

Taiu Bueno

Bethany Hamilton

Publicado em Aloha, Esporte, Esporte solidário, Esportes radicais, Inclusão social, Inspirado, Superação, Surf | Marcado com , , | Deixe um comentário

Wiggoly Dantas vence em Saquarema

Wiggoly Dantas

Wiggoly Dantas

Por causa da correria do dia-a-dia, infelizmente, não consigo acompanhar como gostaria as etapas do WQS e WCT de surf. Por esse motivo acabo não publicando muitos resultados aqui no Surfista Paulistano. Mas, sempre que possível gosto de colocar aqui os resultados das provas, principalmente quando algum brasileiro é campeão, ainda mais quando a vitória é dentro de casa.

Foi exatamente isso que aconteceu com o surfista de Ubatuba (SP) Wiggoly Dantas que levou neste domingo 25 o caneco de campeão do Quiksilver Saquarema Prime apresentado por Powerade, na praia de Itaúna, em Saquarema (RJ), o Maracanã do surf mundial. O evento foi válido como etapa Prime da ASP.

Com o resultado, Dantas fica na segunda posição do ranking do WQS e chega mais perto de uma vaga de acesso para o WCT de 2015. O primeiro colocado no ranking é o paulista Adriano de Souza, que também teve ótima performance em Saquarema, com o terceiro lugar.

 

Publicado em Aloha, Brazucas no surf, Circuito profissional, Competições, Esporte, Esportes radicais, Eventos, Surf, WT | Marcado com , | Deixe um comentário

Bate papo com surfista profissional

luciano brulher2_sidney polansk_liquid eye

“Se você quer ser alguém no esporte, tem que entrar

para medir força com os melhores”

Luciano Brulher.

Foto: Sidney Polansk/Liquid Eye

A frase acima é um conselho que o surfista profissional Luciano Brulher, 25 anos, local de Caraguatatuba (SP), ouviu em 2007 em um conversa com um técnico da equipe paulista amadora na época. Foi neste momento que Ninho, como é conhecido entre os mais próximos, decidiu se tornar profissional e hoje é o único surfista pro da cidade, conhecida erroneamente por ser um destino de praia de mar flat. Eu mesmo, já editando o Surfista Paulistano, peguei alguns swells de leste clássicos em Caraguá e picos como praia Brava e outros secret points do local são de fazer a cabeça.

Em comemoração ao aniversário da Associação de Surf de Caraguá (ASC), o Surfista Paulistano falou com Brulher sobre sua carreira, performance, localismo, Copa do Mundo e o atual cenário do surf profissional no Brasil. Confira:

Surfista Paulistano (S.P.) – Como começou a surfar? 

Luciano Brulher (L.B.) - Aprendi a surfar em março de 1992 com meu pai (o surfista local Luciano Sant’anna, de Caraguá). Eu tinha 3 anos e meio de idade. 

S.P. – Qual o maior perrengue que já passou no mar? Qual segredo para esse tipo de situação?

L.B. - Não lembro muito bem de quando e onde, mas já cheguei a sair bem tonto do mar depois de tomar um caldo bem forte. O segrego para esse tipo de situação é estar bem preparado fisicamente para sofrer consequências, às vezes.

S.P. - Qual seu estilo de surf preferido e qual é sua prancha mágica?

L.B. - Gosto do surf clássico e manobras inovadoras. Minha prancha mágica é uma 5’6 pés, do shaper Marcelo Barreira, da MB Surfboards. Ela tem 18 1/2 e 2/16, com rabeta round squash. É uma prancha muito versátil seja para ondas picadas ou mexidas até para ondas um pouco mais perfeitas e maiores. Ela é bem rápida e facilita muito na manobra, com bastante pressão. Esse modelo é resultado de um bom trabalho com o Marcelo, que tem sido fundamental pra minha carreira. Também agradeço muito o apoio da marca de parafina Manga Wax.

Continuar lendo

Publicado em Aloha, Brazucas no surf, Circuito profissional, Competições, Entrevista, Esporte, Esportes radicais, Gestão no esporte, Localismo, Negócios do esporte, Profissionalização no esporte, Surf | 2 Comentários

Playmobil no surf

Na minha infância, sem surf, sempre fui um apaixonado por Playmobil. Tinha várias modalidades: Forte Apache, Caravela, Faroeste, etc. Perdia horas brincando com esses bonequinhos que dava para trocar o cabelo, sem nenhuma modalidade. 

Naquela época, em plena década de 80, impossível ver os tais personagens do Playmobil em cenas de ação.

Mais de 30 anos depois, com pouco mais de três anos de puro amor pelo surf, ver um vídeo como esse (acima), produzido pelo artista Karim Rejeb, além de ser uma viagem no tempo, é também mais uma forma de admirar o surf e todas as artes que nascem a partir desse esporte. Aloha!!!

Publicado em Aloha | Deixe um comentário