Surfe verde

Quem nunca ficou no outside só admirando a natureza, agradecendo a todos os santos pela natureza que envolve o surfe? Muito se fala que o surfe é um esporte ligado a natureza, que o surfista ama a natureza, etc. Porém, me pergunto o que está sendo feito de efetivo para que essas máximas façam sentido? Um bom exemplo de ações que não param em discursos e realmente fazem a diferença é o Brasil Surf Pro, circuito brasileiro de surfe, conhecido como um dos campeonatos mais verdes do mundo.

A quarta epata da competição acontecerá entre os dias 2 e 6 de novembro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Além de reunir os melhores surfistas profissionais do país, a competição beneficiará a natureza com o replantio de mudas de mangue e restinga na Lagoa de Marapendi; a  plataforma Petrobras Surfe pelas Florestas (na foto acima), que trará informações sobre o ecossistema, instalações interativas, distribuição de sementes e homenagem ao Ano Internacional das Florestas, com distribuição de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica; mergulho no Meio Ambiente do Parque Municipal Marapendi; excursão de escolas para conhecerem o ecossistema do parque; curso de capacitação em pedagogia e gestão ambiental nas escolinhas de surfe; plantio de 500 mudas por surfistas até o final do evento; a carboneutralização, cujo objetivo é neutralizar a emissão de carbono no evento com o plantio de um número correspondente de árvores no corredor ecológico Tinguá-Bocaina;

O Brasil Surf Pro 2011 é uma iniciativa da Petrobras e da Skol com patrocínio da Hawaiian Dreams (HD), apoio da Oi Futuro, dos canais SporTV e Multishow e da TV Jam. O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da ABRASP, realização e produção Brasil1 Esporte e MaxSports. A etapa do Rio de Janeiro conta também com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e do Jornal O Globo. Além disso, o programa Petrobras Surf Pelas Florestas conta com apoio do Ministério do Meio Ambiente que entendeu a importância do trabalho de sensibilização durante o Ano Internacional das Florestas (declarado pela ONU).

Sabemos que um dos principais patrocinadores do surfe nacional, a marca Petrobras, tem motivos de sobra para defender o discurso do ecologicamente correto, uma vez que a estatal atua em um setor que agride diretamente o Meio Ambiente. Porém, é importante frisar que a empresa está, pelo menos, tentando neutralizar os prejuízos causados. Sem dúvida escolheu uma plataforma inquestionável para comunicar essa bandeira: o surfe. Aloha!

 

Sobre João Carlos Godoy

Jornalista, surfista, amante, fanático por surf e pelo mar. Formado no curso de MBA de Gestão no Esporte da Universidade Anhembi Morumbi e assessor de imprensa na área de negócios e esporte. E-mail para contato: jc.surfistapaulistano@gmail.com
Esse post foi publicado em Aloha, Ecologicamente correto, Esportes radicais, Eventos, Surf, Sustentabilidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s