Patrocinador passou o chapéu?

(dá esq. à dir.): Felipão, Arnaldo Tirone e José Luiz Gandini. Foto: Daniel Romeu/Globo.com

Bem, certamente muitos leram nesta semana a notícia do patrocínio fechado entre a Kia Motors e o Palmeiras. Entre todas as notícias publicadas, alguns veículos como o portal Globo.com registrou um detallhe que me deixa um pouco preocupado. O presidente da Kia no Brasil, José Luiz Gandini, é palmeirense. E daí?

Se esse patrocínio foi fechado baseado em um estudo de mercado, com campanhas de ativação de patrocínio estratégicas previstas, tudo bem, o torcedor Gandini será apenas um detalhe. Agora se for só mais um patrocínio apaixonado de um empresário por seu time, isso me preocupa. Porque o mercado de esporte, as vesperas de uma Copa do Mundo, não pode mais viver esse tipo de amadorismo. Tomara que a equipe de marketing da Kia tenha tomado a decisão de patrocinar o Palmeiras usando os termômetros do marketing, independente do time de seu presicente.

Desejo isso porque mundialmente a Kia Motors é uma marca que gasta alguns milhões com o futebol. Times como Bordeaux e Atlético de Madri (até o fim da última temporada) e campeonatos como Copa do Brasil (naming rights) e Copa América, Fifa e Eurocopa, são algumas das plataformas que a montadora coreana usa para ativar sua marca no esporte. No Brasil, essa experiência não pode ser apenas uma aventura, certo? Vou torcer para que não seja. Vida longa ao Palmeiras e seu mais novo patrocinador, apaixonado pelo clube, vale frisar.

Anúncios

Sobre João Carlos Godoy

Jornalista, surfista, amante, fanático por surf e pelo mar. Formado no curso de MBA de Gestão no Esporte da Universidade Anhembi Morumbi e assessor de imprensa na área de negócios e esporte. E-mail para contato: jc.surfistapaulistano@gmail.com
Esse post foi publicado em Aloha, Marketing esportivo, Negócios do esporte. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Patrocinador passou o chapéu?

  1. Eros disse:

    Cara, achar que uma empresa multinacional do porte da Kia Motors fecharia um contrato de R$ 30 milhões com uma equipe de futebol só porque o seu presidente (que não é o dono e sim um executivo da filial brasileira ) é torcedor desse time, é algo meio sem sentido, né!? Desculpa, mas acho que você escreveu bobagem.

    • Brother, respeito o seu comentário e agradeço, mas acompanho, estudo e trabalho com marketing esportivo há anos. Portanto, tenho uma notícia ruim para te dar. Infelizmenete isso acontece todos os dias. E, em momento algum eu disse que isso foi feito. Apenas escrevi que espero que isso não tenha sido feito. Não, não escrevi bobagem, acredite. Aloha.

    • Desculpe, esqueci de citar os exemplos da FIAT, no Palmeiras, e da Unimed, no Fluminense. Além de tantos outros. Aloha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s