A postura campeã de Mineirinho

Não sou juíz ou especialista em surf, longe disso. Me considero apenas um surfista iniciante aficionado e estudioso no assunto. Por isso na minha opinião de jornalista esportivo (em outros esportes sou sim um especialista) o campeão do Quiksilver Pro 2012, em Snapper Rocks, na Austrália, foi sem dúvida o paulista Adriano de Souza, o Mineirinho (na foto acima). Por ser brasileiro, sei que sou suspeito para falar, mas os fatos sustentam a minha tese.

Mineirinho disputou na madrugada deste domingo no Brasil, a final da primeira etapa do circuito mundial de surf contra o australiano Taj Burrow. Depois de eliminar nomes como Owen Wright e Josh Kerr, Adriano de Souza mostrou para que veio ao campeonato da Associação de Surfistas Profissionais em 2012. O jovem surfista local do Guarujá começou a derradeira bateria com um aéreo de levantar a plateia que lotava a praia e arrancou um 8.0 dos juízes  para assumir a liderança (no vídeo abaixo).

Estava assistindo a transmissão ao vivo pelos canais ESPN e não entendi quando os juízes deram um 9.43 para Taj em uma onda tão boa quanto a de Mineiro. Ele não foi bem? Não é isso. Acredito que Taj arrebentou nesta onda, mas não para tirar um 9.43. Poderia ter sido um 8.0 ou 8.5 porque não foi tão melhor quanto o Mineiro (assista o resumo da bateria clicando neste link e depois escolha qual nota quer assistir clicando sob os números).

A indignação veio mesmo na última onda de Adriano de Souza que arrancou mais um aéreo de cara para conseguir a sua nota de 7.87, somatória que precisava para levar o título. Os juizes deram para Mineiro 7.60 pontos e o jovem brazuca viu o título de campeão espacar pelos seus dedos após ter feito uma campanha impecável durante a competição. A imagem que ficou foi que os juízes não tiveram culhão para tirar o título de um australiano no quintal de casa.

Bem, como disse, por ser brasileiro sou suspeito para falar, mas na minha opinião o campeão desta etapa foi Adriano de Souza, que vai dar trabalho para os gringos neste ano. Os demais brasileiros encerraram a prova nas seguintes colocações: Heitor Alves (9º), Raoni Monteiro (13º), Gabriel Medina (25º), Jadson André (25º) e Alejo Muniz (25º).

O próximo desafio do World Tour que os brasileiros da elite enfrentarão será o Rip Curl Pro, em Bells Beach, também na Australia, entre os dias 3 e 14 de abril.

Sobre João Carlos Godoy

Jornalista, surfista, amante, fanático por surf e pelo mar. Formado no curso de MBA de Gestão no Esporte da Universidade Anhembi Morumbi e assessor de imprensa na área de negócios e esporte. E-mail para contato: jc.surfistapaulistano@gmail.com
Esse post foi publicado em Aloha, Esporte, Esportes radicais, Eventos, Surf, WT. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s