“Efeito Medina” no surf

Em todas as modalidades que tive o prazer de estudar, pesquisar e trabalhar até hoje, uma fórmula é única e aplica-se em todas elas. Para fomentar qualquer atividade esportiva, seja na prática ou no mercado consumidor, é preciso formar ídolos. No Brasil, sem contar o futebol, é preciso um campeão para que o esporte possa crescer. O exemplo mais clássico foi o tênis brasileiro que viveu o seu “Efeito Guga”, graças aos feitos do nosso inesquecível Gustavo Kuerten.

No surfe, a nação tupiniquim tem vivído uma onda de ídolos importantes para o crescimento do esporte no país. Adriano de Souza, o Minerinho, sem dúvida, é parte integrante dessa realidade. Não é a toa que o atleta do Guarujá (SP) é o vice-líder do ranking mundial. Certamente o “Efeito Mineirinho” aumentará em 2012.

Outra sensação do momento, o paulista Gabriel Medina (na foto acima), a cada prova que disputa, vai confirmando a tendência que o “Efeito Medina” pode causar positivamente. O mais recente degrau conquistado pelo atleta de São Sebastião (SP), o Lowers Pro, etapa prime do circuito mundial, finalizada neste sábado, em Trestles, Califórnia (EUA), é mais uma prova de que Medina, aos 17 anos, é realmente um fenômeno no surf mundial (para assistir o vídeo da vitória do brasileiro clique aqui).

Mais brasileiros representaram a bandeira verde-amarela em Trestles e ficaram nas seguintes colocações: Tomas Hermes (17º),  Heitor Alves (17º), Alejo Muniz (25º), Raoni Monteiro (37º), Jessé Mendes (37º), Jano Belo (37º), Miguel Pupo (49º), Hizunomê Bettero (49º), Jerônimo Vargas (49º), Wiggolly Dantas (49º), Willian Cardoso (49º), Alex Ribeiro (73º), Caio Ibelli (73º), Ricardo dos Santos (73º) e Filipe Toledo (73º).

Sobre João Carlos Godoy

Jornalista, surfista, amante, fanático por surf e pelo mar. Formado no curso de MBA de Gestão no Esporte da Universidade Anhembi Morumbi e assessor de imprensa na área de negócios e esporte. E-mail para contato: jc.surfistapaulistano@gmail.com
Esse post foi publicado em Aloha, Esporte, Esportes radicais, Eventos, Surf. Bookmark o link permanente.

3 respostas para “Efeito Medina” no surf

  1. Edu disse:

    Concordo plenamente… o surfe vai crescer muito com nossos ídolos no patamar máximo do esporte… o surfe realmente se tornará um esporte… atletas receberão salários registrados como surfistas .. estamos em um momento mágico.. o futuro nos pertence… o crowd vai aumentar.. mas isso é inevitável kkkkk parabéns João seu espaço já está reservado no out-side ..

  2. Pingback: Surf elite brazuca retro 2013 – parte I | SurfistaPaulistano

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s