Jadson vence em Fernando de Noronha

Crédito da foto: Daniel Smorigo

Jadson André. Foto: Fábio Maradei

Quem conhece a história do brasileiro Jadson André se arrepia e se emociona como neste domingo 24 eu me emocionei em ver ele vencer o Oi Hang Loose Pro Contest, na Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha. A etapa QS 6000 do World Qualifyng Series da Liga Mundial de Surf (WSL) reuniu mais de 140 atletas de diversos países e pagou R$ 130 mil em prêmios.

“Dedico essa vitória a todos os nativos de Fernando de Noronha onde eu sempre fui muito bem recebido. Se eu contar o que aconteceu comigo desde dezembro até agora vão achar que eu estou dramatizando, mas desde a etapa de Sunset (no final de 2018) até agora eu caí no mar cinco vezes, com lesão, bactéria no organismo e vencer aqui foi sinistro. Eu quero agradecer a Deus por essa vitória porque mais uma vez ele colocou as mãos dele nos momento que eu precisei”, comemora Jadson André, que em 2019 está de volta nas etapas do Circuito Mundial de Surf Profissional depois de viver um 2018 desafiador sem patrocínio no bico da prancha que ainda segue sem um patrocinador, esperamos que por pouco tempo.

Yago Dora. Foto: Daniel Smorigo

O potiguar venceu Yago Dora (foto acima) em uma final alucinante onde ele somou 16.46 contra 16.10 de seu oponente. No final da bateria, Jadson precisava de uma nota 8.51 para virar. E, em uma direita de backside, após sair do mar para trocar de prancha, ele arrancou um 8.53 dos juízes com duas manobras com muito power surf. Yago Dora que apostou nos aéreos chegou a marcar um 9.0, mas não conseguiu tirar o título de Jadson.

Yago Dora e Jadson André. Foto: Fábio Maradei
Jadson André, Cam Richards e Yago Dora. Foto: Daniel Smorigo
Ítalo Ferreira. Foto: Daniel Smorigo

Sem dúvida, outros atletas brasileiros e gringos merecem os parabéns por suas performances apresentadas nessa disputa. O potiguar Ítalo Ferreira (foto acima) que chegou até a semi final contra Yago Dora foi um deles. A bateria entre os dois foi um show de aéreos com notas acima dos 8 pontos. Outro destaque fica com nosso bi-campeão mundial de surf profissional Gabriel Medina, que avançou com maestria até as quartas, parado apenas pelo incansável campeão da prova (assista abaixo os melhores momentos do penúltimo dia (sábado, dia 23) de prova com imagens de Caio Faria.

Samuel Igo. Foto: Daniel Smorigo

Vale destacar também que no primeiro dia de prova, o surfista Samuel Igo (foto acima) tirou o primeiro e único 10 do evento. Infelizmente, Igo foi eliminado precocemente no round 2, mas deteve a maior somatória do campeonato: 19 pontos de 20 possíveis (vídeo abaixo também). O feito rendeu para Igo o Troféu Jean da Silva, dedicado ao atleta com melhor performance durante a disputa. O nome da premiação foi em homenagem ao atleta falecido há dois anos atrás.

Álfio Lagnado, criador do campeonato em 1986 afirmou agradeceu a todos os envolvidos na realização do campeonato afirmou que “todos foram muito bem recebidos novamente”. “O campeonato foi alucinante, ondas todos os dias, grandes surfistas, e o astral, todo mundo feliz, à vontade. Acho que esse é o verdadeiro espírito do surf, uma coisa simples, natureza, boa performance, camaradagem na praia, a interação das pessoas da ilha com as de fora. Essa é a grande força do Oi Hang Loose”, disse Lagnado.

O Oi Hang Loose Pro Contest foi uma realização da World Surf League (WSL) com patrocínio naming rights da Oi, através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo de Pernambuco e Copatrocínio da 51 Ice.

 

 

Anúncios

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s