Surfistas no resgate de baleias

Depoimentos como esse abaixo, de autoria do meu amigo e mestre de surf Eduardo da Silveira, da escola Surfistas Para Sempre, faz a gente se sentir feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por saber que existem pessoas no mundo assim como o Edu, que cuidam e vivem da natureza, fazendo de tudo para protegê-la e respeitá-la. Triste porque mais uma vez a maldade e a imprudência do bicho homem tirou a vida de mais um animal da natureza. A pergunta é: até quando?

Antes do depoimento emocionado do Edu, o fato foi que no último dia 27 de dezembro (2013) um filhote de baleia Jubarte foi avistado sem sua mãe atrás da Ilha das Cabras (Guarujá) e fotografado por Guilherme Kodja, do Instituto Laje Viva.

Infelizmente no primeiro dia de 2014 o mesmo filhote apareceu morto na praia de Pernambuco (Guarujá), com sua cauda e cabeça enroscadas em uma rede de pesca de fundo. Um laudo da necropsia, elaborado pelo Instituto Gremar Resgate E Reabilitação, confirmou o afogamento. Muito triste começar o ano assim. Fotos acima!!!

Fale aê brother Edu:

“Uma situação que eu nunca pensei que fosse viver. Avistei a Jubarte com poucas semanas de vida, morta. Culpa de pescadores que poderiam ajudá-la certeza, mas preferiram cortar a rede e deixá-la sofrendo. Acompanhei tudo do começo ao fim. Um resgate muito complexo, pois existia um risco já que uma rede envolvia a Jubarte. Usamos uma estratégia certa e conseguimos contatar o Gremar Resgate E Reabilitação. Trouxemos a Jubarte da Laje do Pernambuco até a Rua das Acácias e depois levamos o filhote da Escola Surfistas Para Sempre até o Mar Casado. Parece história de pescador, mas acreditem. O Antonio Carlos Leite e eu rebocamos essa Baleia cerca de 2 km, nadando. Acompanhei a necrópsia que constatou o afogamento. Fiquei mais triste ainda quando vi filtros de cigarros na boca e no estômago dela. Nada de alimentos, apenas LEITE, o que comprova que ela era uma bebê. Existia uma cicatriz do cordão umbilical ainda não cicatrizada. Poxa uma pena. Acho que as redes de barcos de pesca deveriam ter uma identificação para que nesses casos os culpados sejam punidos”.

Ato: Cocô é Haole

Ato: Cocô é Haole
Ato: Cocô é Haole

CHEGA DE ESGOTO EM NOSSAS PRAIAS!!! Pedimos a ajuda de todos que amam o surf, independente do seu estado, país ou participação no evento. Ajude-nos COMPARTILHANDO essa imagem para que ela chegue ao maior número de pessoas, inclusive nossos governantes e mídia.

A mobilização já conta com a força da galera do Meu Rio + Salvemos São Conrado + Surfista Paulistano e Tribo Surfon !!!

É domingo, 8 de setembro! Concentração 12h, em frente ao posto 5. Confirme sua presença no link http://bit.ly/atonomar.

 

Os 10 Mandamentos do Surfista Sustentável

Produção de Prancha Ecológica
Produção de Prancha Ecológica

Dando continuidade ao post “Surf Catarinense Sustentável”, relatando as ações da Federação Catarinense de Surf (Fecasurf) em prol da natureza, seguem abaixo os 10 Mandamentos do Surfista Sustentável. Leve essa ideia para a sua praia. Seja feliz e boas ondas!

1. Cuide do seu lixo: se estiver dentro da água ou na praia recolha o lixo e deposite-o na lixeira. Cuidado especial com sua parafina usada, nunca descarte-a na areia da praia. Sempre que possível recicle, principalmente em casa;

2. Preserve a vegetação nativa da praia: cuide bem, pois ela garante a biodiversidade e evita a erosão na praia. Seja proativo, em áreas degradadas plante espécies nativas do bioma;

3. Mobilize as associações de surf locais: estimule sempre que possível as práticas responsáveis com relação ao meio ambiente costeiro. Principalmente durante a realização de campeonatos. Os eventos são uma plataforma para comunicar, sensibilizar e educar o público, faça a sua parte;

 4. Contagie o seu patrocinador nessa luta: estimule Continue lendo “Os 10 Mandamentos do Surfista Sustentável”

Surf catarinense sustentável

Projeto Prancha Ecológica
Projeto Prancha Ecológica

A Federação Catarinense de Surf (Fecasurf), ciente de seu compromisso socioambiental, vem apostando forte na conscientização dos surfistas catarinenses em busca da proteção e preservação de nosso planeta, através de ações sustentáveis.

Ações de sustentabilidade podem garantir os recursos naturais necessários para as próximas gerações, possibilitando a manutenção de ambientes (florestas, matas, rios, lagos, oceanos), proporcionando assim, qualidade de vida às futuras gerações.

“Estamos engajados nesta luta pela preservação de nosso planeta, e através dos eventos da Fecasurf procuramos sempre estar colocando este assunto em destaque, buscando orientar e conscientizar essa nova geração do surfe catarinense para a grande importância da proteção e preservação de nosso meio ambiente”, declarou Fred Leite, presidente da entidade.

Juntamente com a Oceano Surfwear, empresa 100% catarinense, e patrocinadora oficial do circuito, a Fecasurf vem promovendo ações ecológicas nos eventos, através de dois importantes projetos, o Keep the Ocean Blue e o Prancha Ecológica (na foto acima), agregados ao Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2013.

Ação ambiental
Ação ambiental

O projeto Keep de Ocean Blue foi desenvolvido pela empresa Oceano, e tem como finalidade chamar a atenção das pessoas para os problemas com a preservação de nosso meio ambiente e principalmente de nossas praias.

Em todas as etapas do Circuito Catarinense de Surf Amador são feitas clínicas na praia para as crianças, com atletas renomados e autoridades convidadas, distribuição de materiais informativos, brincadeiras, mutirão de coleta de micro lixo com distribuição de brindes aos participantes, colocação de lixeiras personalizadas na praia e entorno da estrutura do evento. Tudo para atrair a atenção das crianças, jovens de amanhã, para a conservação do meio ambiente.

Acreditando neste conceito, a Oceano já abriu duas lojas do Projeto Keep Ocean Blue, na Prainha em São Francisco do Sul, e em Balneário de Barra do Sul, onde além de muitas novidades em surfwear, também pode ser encontrado um dos principais produtos ecológicos da marca, que é a camiseta feita de material reciclável de garrafa pet.

O Projeto Prancha Ecológica é uma forma criativa, barata e muito divertida de chamar a atenção da garotada para preservação do nosso planeta, unindo o esporte à natureza.

Desenvolvido em 2007 pelo surfista e shaper Jairo Lumertz com o objetivo não só de preservação, mas também de inclusão social e esportiva, para crianças carentes e pessoas que não tem condições de ter uma prancha de surf convencional.

Jairo e sua equipe estarão durante a terceira etapa do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2013, que acontece nos dias 04 e 05 de maio, na Praia do Bispo em Balneário de Barra do Sul, apresentando e ensinando a fazer a “Prancha de Surf Ecológica”, feita com garrafas pet. As Pranchas Ecológicas estarão à disposição da galera para fazer o test drive.

A onda dos reality shows

Picuruta Salazar

Não precisa nem falar que em janeiro de 2012 estreia mais umas edição do programa Big Brother Brasil. Por mais de três meses vamos acompanhar o gênio Pedro Bial com suas declamações de mestre. Mas não vou ser hipócrita. Tirando os discursos do Bial, eu gosto do BBB. É bom saber quem serão as capas seguintes da Playboy pelos próximos 12 meses.

Ao contrário de muitas pessoas que criticam os tais reality shows, eu confesso que sou um consumidornato de tal plataforma. Muitos dizem: “isso não acrescenta nada, é porcaria”. Concordo, não acrescenta nada. Mas os famosos “mesa redonda” após os jogos de domingo a noite acrescentam? Com exceção do Belas Na Rede, ver o Milton Neves falando besteira ou ler o Juca Kfouri no dia seguinte também não acrescenta nada.

Já perdi a conta de quantos reality shows a TV brasileira já colocou no ar. No Limite, Casa dos Artistas, BBB, A Fazenda, Ilha da Sedução (do SBT), Hipertensão, Busão do Brasil, Acorrentados, Minha Praia, Casa Bonita, Ídolos, Fama, Nas Ondas de Noronha, etc.

Essa onda também está invadindo o surf nacional. No último domingo, dia 25, a Rede Globo inaugurou o Nas Ondas de Itacaré, que reúne nomes como Paulo Zulu, Diego Alemão, os profissionais Guilherme Tripa, Pedro Scooby, Bruna Schmitz e Marina Werneck, além dos internautas Cristovão Baltazar, Pedro Menezes, Suzan Kato (essa infernizou no Facebook) e Fernanda Infanti.

E mais: no próximo dia 8 de janeiro de 2012, a Record inaugurará o Amazônia, apresentada por Victor Fasano, é mole? Na lista de convidados estão Mel Ravasio (vocalista da banda Lipstick), a ex-jogadora de basquete Martha Sobral; a ex-Miss Brasil Natália Guimarães; a DJ e filha do músico Raul Seixas Vivi Seixas; a modelo Carol Magalhães; o modelo Mateus Verdelho; o piloto Tarso Marques; o ex-jogador de vôlei Pampa; o astrólogo Alexey Magnavita; o músico Allen Lima; a atriz Carol Zoccoli e o surfista Picuruta Salazar.Este novo formado, pelo menos, promete acrescentar algo para alguém. O prêmio é de R$ 1 milhão, sendo que o vencedor doará R$ 300 mil às comunidades ribeirinhas e R$ 200 mil para a ONG Fundação Amazônia Sustentável. Como um bom surfista vou torcer para o senhor dos pranchões se dar bem nessa.

 Ou seja, para os amantes de reality shows, em 2012, não faltarão paredões, a roça, prova de eliminação, líder, fazendeiro…

Campeões brasileiros das ondas

Com o fim da quinta e última etapa do Brasil Surf Pro, que aconteceu na praia da Joaca, em Florianópolis, o ano de 2011 está encerrado em relação aos grandes circuitos de surf com abrangência nacional e internacional. Como este foi meu primeiro ano acompanhando cada um dos principais atletas brasileiros no Brasil e no exterior estou satisfeito, muito feliz e cada vez mais certo que o surf em minha vida é um caminho sem volta. Certamente 2012 tem mais.

Para finalizar essa cobertura tímida realizada pelo Surfista Paulistano em 2011, vamos aos resultados do circuito nacional decidido neste sábado 17. Com uma boa ajuda de seu amigo Willian Cardoso, Tomas Hermes (na foto acima) conquistou a coroa assistindo o embate entre Cardoso e Halley Batista (campeão da etapa) da areia. No feminino, o título ficou com Diana Cristina (na foto acima).

Fora da água, o Brasil Surf Pro rendeu o plantio de 430 árvores pelo país graças a sua plataforma ambiental.

Petrobras e Skol apresentaram o Brasil Surf Pro 2011, o patrocinio é da Hawaiian Dreams (HD), e apoio da Oi Futuro, dos canais SporTV e Multishow e da TV Jam. O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da ABRASP, realização e produção Brasil1 Esporte e MaxSports.

 

Surfe verde

Quem nunca ficou no outside só admirando a natureza, agradecendo a todos os santos pela natureza que envolve o surfe? Muito se fala que o surfe é um esporte ligado a natureza, que o surfista ama a natureza, etc. Porém, me pergunto o que está sendo feito de efetivo para que essas máximas façam sentido? Um bom exemplo de ações que não param em discursos e realmente fazem a diferença é o Brasil Surf Pro, circuito brasileiro de surfe, conhecido como um dos campeonatos mais verdes do mundo.

A quarta epata da competição acontecerá entre os dias 2 e 6 de novembro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Além de reunir os melhores surfistas profissionais do país, a competição beneficiará a natureza com o replantio de mudas de mangue e restinga na Lagoa de Marapendi; a  plataforma Petrobras Surfe pelas Florestas (na foto acima), que trará informações sobre o ecossistema, instalações interativas, distribuição de sementes e homenagem ao Ano Internacional das Florestas, com distribuição de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica; mergulho no Meio Ambiente do Parque Municipal Marapendi; excursão de escolas para conhecerem o ecossistema do parque; curso de capacitação em pedagogia e gestão ambiental nas escolinhas de surfe; plantio de 500 mudas por surfistas até o final do evento; a carboneutralização, cujo objetivo é neutralizar a emissão de carbono no evento com o plantio de um número correspondente de árvores no corredor ecológico Tinguá-Bocaina;

O Brasil Surf Pro 2011 é uma iniciativa da Petrobras e da Skol com patrocínio da Hawaiian Dreams (HD), apoio da Oi Futuro, dos canais SporTV e Multishow e da TV Jam. O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da ABRASP, realização e produção Brasil1 Esporte e MaxSports. A etapa do Rio de Janeiro conta também com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e do Jornal O Globo. Além disso, o programa Petrobras Surf Pelas Florestas conta com apoio do Ministério do Meio Ambiente que entendeu a importância do trabalho de sensibilização durante o Ano Internacional das Florestas (declarado pela ONU).

Sabemos que um dos principais patrocinadores do surfe nacional, a marca Petrobras, tem motivos de sobra para defender o discurso do ecologicamente correto, uma vez que a estatal atua em um setor que agride diretamente o Meio Ambiente. Porém, é importante frisar que a empresa está, pelo menos, tentando neutralizar os prejuízos causados. Sem dúvida escolheu uma plataforma inquestionável para comunicar essa bandeira: o surfe. Aloha!

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑